04/12/2020

O livro Evangelismo de John McArthur, lançado internacionalmente em 22 de março de 2011 pela Thomas Nelson, e 27 de julho de 2017 pela Thomas Nelson Brasil, nos traz a reflexão sobre a maneira correta, ou seja, a maneira bíblica, do ato de evangelizar. Aprendemos nesta obra que a utilização de recursos linguísticos, sofisticação filosófica e manipulação psicológica além de não funcionarem, afastam-se da real pureza do Evangelho de Jesus Cristo.

1. Eu mesmo, irmãos, quando estive entre vocês, não fui com discurso eloquente nem com muita sabedoria para lhes proclamar o mistério de Deus. 2. Pois decidi nada saber entre vocês, a não ser Jesus Cristo, e este, crucificado”.

1 Coríntios 2:1-2

O autor, inicialmente, reflete sobre o fato de que, quando ouvimos as boas novas da salvação e nos convertemos ao Senhor, temos uma paixão tão intensa e energética que ela nos move de maneira incansável para pregar à toda e qualquer criatura. No entanto, os empecilhos da evangelização acabam aparecendo no decorrer da caminhada cristã e isso nos tira o foco da nossa grande comissão. Não apenas a rejeição reiterada de alguns indivíduos acabam amortecendo nosso entusiasmo em pregar A Palavra de Deus, mas também as coisas desse mundo e as nossas próprias limitações pessoais. Todas essas coisas acabam competindo por nosso tempo e atenção, então, somos continuamente desencorajados a tentar alcançar os perdidos para Cristo.

Precisamos ter plena convicção de que almas estão sendo perdidas, de que pessoas estão indo para o inferno e que nós perdemos o que o evangelista chama de “senso de urgência”. A prática do evangelismo é vital no mundo caído no qual vivemos e o agora é o único tempo que temos para essa prática espiritual, pois no céu não precisaremos evangelizar. A nossa geração de cristãos precisa se responsabilizar por geração de almas. É assim que devemos viver o nosso chamado. Precisamos estar olhando sempre para a Cruz para espalhar a mensagem de redenção. A mensagem de Jesus Cristo, que diz respeito a Ele e o que Ele fez por nós. O foco nunca deve ser nas necessidades do sofredor ou numa lista de coisas que se deve fazer para merecer as bênçãos ou milagres. Essa é a maneira de ser discípulo e não multidão.

O que diferencia o cristianismo de outras religiões é que não precisamos fazer algo para Deus, pois Sua Graça já fez por nós e é a partir dela que temos uma nova e abundante vida:

“2. E não vivam conforme os padrões deste mundo, mas deixem que Deus os transforme pela renovação da mente, para que possam experimentar qual é a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” – Romanos 12:2

Paz!

Para esse ou outros livros que edificarão sua fé em nossa loja virtual, clique aqui.

Ver conteúdo completo
Anterior Os 5 produtos mais vendidos em 2019
Esse é a nossa postagem mais recente

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Próximo Post

Fechar

Bíblia NVT (Nova Versão Transformadora)

23/12/2019
Fechar